Carregando Eventos
Ta rolando
Cultura Inglesa Festival apresenta espetáculos no Centro Cultural Olido

Cultura Inglesa Festival apresenta espetáculos no Centro Cultural Olido

Os espetáculos “Cansei de Ser Sereia” e “Égua” podem ser vistos no Cultura Inglesa Festival


23/05/2017 - Melissa Aguilar

  • Este evento já passou.

Em sua 21ª edição, o Cultura Inglesa Festival apresenta dois espetáculos de dança inéditos. As apresentações de Cansei de ser Sereia acontece entre os dias 25 a 28 de maio e Égua entre os dias 1º e 04 de junho, na Galeria Olido. Os projetos foram selecionados pelos curadores Alex Soares, Fernando Dourado e Yáskara Manzini. Ambos vencedores do edital promovido anualmente pela Cultura Inglesa.

Cansei de Ser Sereia

A criação de Cansei de Ser Sereia – o espetáculo criado pela Cia Perversos Polimorfo e sob direção de Ricardo Gali -, foi inspirada na música e videoclipe de “Spectrum”, da banda britânica Florence + The Machine e remixada pelo DJ Calvin Harris.

O espetáculo parte do estudo do ser mitológico Sereia para metaforizar as questões das transformações  corporais e as suas adequações e inadequações sociais. A apresentação propõe um questionamento a respeito da depreciação feminina, no que diz respeito, a expectativa social por um modelo já pré-estabelecido e a busca pela aceitação por meio de padrões comportamentais impostos.

Para Gali, a figura da sereia sobrevive fortemente, uma vez que os momentos de transformações sociais e políticas provocam certa perda de identidade, que leva à busca por novos padrões e por uma nova ética. Essa perda de identidade é central no mito da sereia.

“Em períodos de abuso de poder político, como no conto da Pequena Sereia, de Hans Christian Andersen, acabamos perdendo a voz, ou até mesmo os nossos pés e a possibilidade de caminhar”, afirma. A respeito do conto de Andersen, uma das principais referências na construção do imaginário da sereia, o diretor conta ser possível lê-lo como uma história sobre o corpo feminino sendo readequado em função do desejo de um outro masculino.

“Pelo príncipe, a Pequena Sereia abre mão de uma de suas maiores qualidades, a voz, que também poder se visto como o poder de discussão e posicionamento”, explica. “Ela acredita ter que adaptar seu corpo e adequá-lo ao desejo do príncipe, não aceitando ter cauda”, conclui Gali.

Égua

Em Égua, tem como ponto de partida o universo da música Horses in My Dreams, de PJ Harvey. As bailarinas Josefa Pereira e Patrícia Bergantin usam o imaginário de força e beleza em torno de um cavalo. Correr, comer, rosnar, lamber, rir, dormir, rastejar, recusar, intuir. Pequenos verbos que possam desviar os códigos de conduta e adequações. Um movimento para farejar resquícios de modos esquecidos de existir.

Josefa explica que o cavalo é uma imagem que transmite força e sofisticação, mas o mesmo não acontece com o seu feminino “Égua”. Por isso, esse foi o nome escolhido para o espetáculo. “Uma égua não é um cavalo e isto é muita coisa”, afirma. “Despertadas pela escuta insistente da canção, colocamos em movimento um campo que tensiona forças propulsoras e opressoras”, conclui.

Vai participar do Cultura Inglesa Festival?

Serviço:
Cultura Inglesa Festival
Cansei de Ser Sereia
25 a 28 de maio ( quinta á sábado às 20h; domingo às 19h)
Égua
1º a 4 de junho ( quinta á sábado às 20h; domingo às 19h)
Centro Cultural Olido
Av. São João, 473, Centro – São Paulo – SP (Próximo das Estações de MetrôRepública, Anhangabaú da Linha Vermelhae São Bento a Linha Azul)

 

Detalhes

Início:
25 maio 2017 @ 19:00
Final:
4 junho 2017 @ 21:00