Se liga Invocação do Mal 2:  filme é recorde de bilheteria pelo mundo

Invocação do Mal 2: filme é recorde de bilheteria pelo mundo


21/06/2016 - Bárbara Benedetti

Móveis que se movem do nada, passos nas escadas, sussurros e pessoas levitando no ar. Cenas de um típico filme de terror, certo? Só que não é bem assim, nem tudo é ficção em Invocação do Mal 2.

O filme Invocação do Mal 2, dirigido por James Wan — diretor do primeiro filme da série e de Anabelle — traz novamente uma história baseada nos relatos do casal paranormal Lorraine e Ed Warren, com um tom ainda mais aterrorizante do que o próprio acontecimento em si já é.

O caso acontece com uma família de classe baixa na cidade de Enfield, Inglaterra, moradores de uma pequena casa na década de 1970, onde residiu anteriormente um homem de 72 anos chamado Bill Wilkins.

Tudo começa com uma brincadeira entre as duas irmãs, Janet de 11 anos e Margaret de 12, que fizeram algumas perguntas a uma tábua de Ouija (superfície plana com letras, números e outros símbolos em que se coloca um indicador móvel para colocar as mãos e esperar por uma comunicação com espíritos). A partir de então, fatos sobrenaturais começam a cercar a casa da família Hodgson, principalmente sua filha mais nova Janet, atormentada por um tipo de manifestação poltergeist.

As camas dos quartos das crianças moviam-se durante à noite, assim como brinquedos e demais móveis da casa. As cenas mais assustadoras acontecem na sala da residência, onde uma poltrona de balanço antiga no canto do ambiente se move constantemente, apresentando diversas vezes um velho sentado que observa com ódio os movimentos de todos, repetindo para si e para Janet que aquela era a SUA casa.

O espírito de Bill Wilkins, que fala através de Janet e que morreu na sinistra poltrona de balanço, é possuído por um demônio chamado Valak (sim, até quem possuí é possuído nesse filme!) atraindo propositalmente o casal paranormal para este caso. O mesmo demônio é visto por Lorraine Warren em um outro acontecimento espiritual em Nova Iorque, que antecede ao famoso poltergeist de Enfield, portanto, as tramas de ambas as cenas se entrelaçam no decorrer do filme. E é aí que o enredo sai um pouco da realidade e dá lugar à ficção, deixando previsível e não tão assustador para os mais fortes. O tal demônio se apresenta de varias formas sinistras: uma freira fantasmagórica e como o “Homem Torto”, personagem de uma canção infantil. Por mais que fuja da história real, as cenas demoníacas ainda deixam salas inteiras de cinemas naquele silêncio perturbador seguidos de bons gritos. Dá audiência…

Invocação do Mal 2 já atraiu mais de 1 milhão de brasileiros aos cinemas de todo o país, um número histórico. O filme também estreou em 1º lugar nas bilheterias dos EUA e já arrecadou mais de R$ 14,9 milhões, segundo comunicado do estúdio Warner Bros.

Mas será que é real mesmo os acontecimentos de Invocação do Mal 2?

O caso provoca polêmica até hoje. Alguns céticos acreditam que as irmãs inventaram tudo, desde as vozes, até a destruição dos móveis na casa. Na época, o único equipamento utilizado para se obter provas da existência de um poltergeist foi uma câmera fotográfica, que capturou imagens do local durante a ocorrência dos fatos sobrenaturais. A mídia deu grande destaque à família, que foi protagonista de um documentário da BBC de Londres, em que aparece a menina Janet possuída durante uma entrevista. Em depoimento ao Daily Mail, a adulta Janet admitiu que ela e sua irmã haviam falsificado 2% dos fenômenos, mas apenas para saber se os especialistas iriam saber diferenciar o que era inventado daquilo que era real, segundo as duas. Bom, há quem só acredite vendo.

Se você é um desses, que paga pra ver, não deixe de ir ao cinema mais próximo e garanta muitos gritos e sustos com esta mega produção do terror!